terça-feira, 21 de janeiro de 2020

A FELICIDADE NOSSA DE CADA DIA



No mundo louco em que vivemos, de tanto desamor, guerras e conflitos da impaciência no lidar com o outro, da  intolerância, ou para dizer melhor, do desprezo pela vida humana, nada mais alentador que uma amizade sincera, daquelas que se dispõem a escutar as nossas mágoas  e alegrias, indistintamente, e estão se tornando cada vez mais raras.

Saber que em algum lugar existe alguém com que podemos contar em qualquer circunstância, nos momentos mais difíceis e naqueles em que compartilhamos vitórias e alegrias é simplesmente gratificante, e nos traz à tona o sentimento de felicidade.

A amizade desempenha papel importante no caminho do ser humano em relação à felicidade, já defendia Aristóteles, um dos mais influentes filósofos gregos do mundo ocidental. O homem vive em comunidade e, por isso mesmo, suas ações têm impacto não apenas sobre si, mas também sobre o outro. É na cidade, no convívio com outras pessoas, que se pode agir e agindo de forma virtuosa se vivencia a felicidade, ensina o filósofo.

Mas afinal, o que é felicidade? Esse questionamento nos acompanha desde sempre.  Ser feliz é ter uma grande fortuna? Estar cercado de poder e honrarias, ter uma bela casa e o carro do ano?  Certamente que não. Esses são prazeres efêmeros, sentimentos passageiros por algo que conquistamos em nossa vida. 

Já para Nietzshe, felicidade é transbordamento. Essa capacidade de sair de si e retornar a si. De todo modo, talvez possamos pensar numa conjunção entre essas duas perspectivas acreditando que a felicidade é fazer aquilo que se gosta. Ter prazer com o que fazemos, buscar um aprimoramento pessoal e neste momento você é mais você e pode compartilhar essa alegria com o outro. Aristóteles falava nessa busca pela excelência, não porque os outros esperam, mas porque há realização de si e esta pode ser compartilhada.

Todos nós queremos ser felizes, esquecendo que a felicidade pode estar naquele domingo ensolarado, quando caminhamos sobre a areia branca da praia. Ou simplesmente acordar, abrir a janela e perceber que no nosso pequeno jardim desabrochou mais uma flor, brotando da terra. Essa é a felicidade genuína. É a aceitação de nós mesmos, com nossas virtudes e defeitos, amores e desamores, erros e acertos, mas sempre na busca de um aperfeiçoamento pessoal, querendo ser uma pessoa melhor.

Entretanto, a ciência moderna propõe dois tipos de felicidade. A condicionada, que surge quando obtemos algum conforto ou ganho, e a felicidade genuína, aquela que flui de nossas mentes e do que oferecemos aos outros e ao mundo. Ou seja, somos felizes quando podemos oferecer coisas boas às pessoas que amamos.

Uma amiga querida me diz que a maior das felicidades é acordar com brilho nos olhos, propósito na vida e boas relações ao redor, sem motivo especial para estar disposto e com bom ânimo. Sábias palavras, porque nos mostram que é possível encontrar felicidade real no cotidiano.

Todas essas reflexões resultam das mensagens que nos chegam via WhatsApp sobre mindfulness, um modelo de meditação que nos ajuda a ter uma vida melhor, dar as mãos aos nossos medos e a realizar os desejos genuínos do nosso coração.

Socorro Pitombo, jornalista

9 comentários:

  1. O texto é bem claro, a felicidade está em nossas ações, no nosso jeito de ser, no prazer de viver, está no sorriso, no abraço, no ouvir,no compartilhar. Está nos nossos gestos de compaixão, na nossa oração, na nossa simplicidade. Também nas nossas conquistas e vitórias, na amizade, no amor, na fé, na garra, na esperança. Está no acreditar que hoje será bem melhor que ontem!

    ResponderExcluir
  2. Texto sensível e necessário, como na frase de Guimarães Rosa " Felicidade se acha em horinhas de descuido"

    ResponderExcluir
  3. Muito bom Mada Hussein. Abraços de Rudy Rossi. Espero contar com a sua ilustríssima presença no dia da minha apresentação. Abraços do seu amigo Rudy Rossi. Bjs...

    ResponderExcluir
  4. Amiga pra toda hora merece o respeito e o carinho de todos felicidade amiga amo vc!💖

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Como estudioso desse tema de grande importância para nossas vidas, saboreei cada palavra, cada assertiva acerca da felicidade, que, antes de tudo, deve ser encontrada dentro de cada um de nós. Os bens materiais podem ser roubados, destruídos pelas inundações, mas o que temos, e o que somos, em nossa essência, ninguém pode usurpar. Grande abraço, Madá!

    ResponderExcluir
  8. Sábias palavras, o mundo precisa de mais comunhão e viver essa felicidade.

    ResponderExcluir
  9. Para mim, amiga querida, vc é sinônimo da felicidade! Concordo com a definição de sua outra amiga!!! Beijão!!!

    ResponderExcluir