quarta-feira, 15 de julho de 2015

CELEBRAÇÃO DO CENTENTÁRIO DE DIVAL PITOMBO




Dival da Silva Pitombo

Uma missa na capela do Hospital Dom Pedro de Alcântara, celebrada no dia 7, pelo capelão da Santa Casa de Misericórdia, padre Carlos Vianey, marcou o centenário de Dival da Silva Pitombo. A celebração contou com a presença de familiares e amigos, entre os quais os professores Mariinha Belo Pina e Raymundo Luiz Lopes, que prestaram significativa homenagem.

Em um discurso emocionado, Raymundo Lopes destacou que Dival seguiu pelo caminho do magistério e das artes em geral, notadamente da criação e da crítica literária, sendo, também, uma espécie de mecenas, nesta terra - condição reconhecida por figuras da sociedade feirense, incluindo escritores e artistas plásticos - alguns desses, hoje, pintores de renome nacional.

O professor lembrou ainda que nos anos 40, no vigor de seus vinte e poucos anos, Dival ingressou no setor educacional, à época da fundação do Colégio Santanópolis. “Mais tarde, como diretor do Instituto de Educação Gastão Guimarães, do Museu Regional de Feira de Santana, ou ainda como Diretor de Vida Universitária (DVU) da Universidade Estadual de Feira de Santana, Dival continuaria a realizar competente trabalho pautado na solidariedade, tolerância e na ética, buscando sempre a valorização do ser humano”, destacou Lopes.  O homenageado foi também membro do Conselho de Cultura do Estado

“O seu jeito de tratar as pessoas, de ouvi-las, de buscar solução para os problemas alheios era um definidor de sua personalidade, no trato familiar ou no espaço social. À frente da Diretoria de Vida Universitária, fervilharam momentos artístico-culturais indeléveis, no Campus da Uefs e noutros locais em que ele alcançasse a comunidade feirense”, disse o professor, que teve a oportunidade de trabalhar com Dival como Assessor Cultural da DVU.

Socorro Pitombo

Um comentário:

  1. Valeu! Grato por divulgar a celebração do centenário de Dival Pitombo.

    ResponderExcluir